quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

Desculpe o transtorno, preciso falar do P.

Conheci ele na fila de um show. Não qualquer show, era o show do Jake Bugg. Eu estava com um amigo e ouvia Lana del Rey, ele chegou e parou atrás de nós. Sozinho. Depois de um tempo cantarolando com meu amigo, resolvi perguntar para ele se ele gostava e se não estávamos incomodando.  Nos apresentamos. Perguntei o que ele tinha tatuado, porque dava pra ver um pedacinho de uma palavra. Falei bastante, ele falou o suficiente. Amizade de fila de show.
Durante o show, enquanto eu pulava e me jogava pra alcançar a grade, ele cantava todas as músicas e balançava no ritmo delas.
No fim do show, peguei o Facebook dele, falei para irmos ao show da banda que fez a abertura, seria em duas semanas. Foi só o começo.
Passamos algumas madrugadas conversando no Messenger, depois fomos para o Whatsapp. Saíamos quase todos os finais de semanas. Em partes para fazer programas que eu queria, em partes para apresentar a cidade para ele e em partes porque queria aquela companhia.
Ficamos quando eu tinha 20 e ele 21, mas parecia que tudo começou antes. Assistimos vários filmes, comemos muito Spoletto, descobrimos novos sorvetes, novas bandas e livros. Ele conheceu todos os meus amigos e já fazia parte da minha turma. Dos dez filmes que mais gosto, sete nós assistimos juntos. Os outros três foi ele que me indicou. 
Aprendi umas coisas sobre edição, vetorização, animação. E poderia ter aprendido várias outras coisas, mas não tive a sorte de continuar com ele.
Um dia eu abri mão dele. E não foi fácil. Eu estava fazendo tudo por nós dois. Eu estava fazendo tudo por dois. Eu gostava por dois. Chorei mais do que com o final de "Um dia". Não tem alguém que converse comigo ou um lugar que eu vá em que alguém não me pergunte, em algum momento: "cadê ele? como ele tá?" Parece que pra sempre ele vai ser lembrado e vai fazer falta. Se ao menos eu tivesse sido um pouco mais pé no chão, seríamos apenas bons amigos.
Essa semana estreou um filme que veríamos juntos. Assisti sozinha. Chorei por tudo. Pelo filme, por nós. Por mais que eu sinta felicidade por ter vivido muitos momentos especiais ao lado dele, o fim sempre vai doer. Falta ele comigo.

04/10/2016

terça-feira, 25 de julho de 2017

Caralho, Pedro! Será que é tão difícil assim entender? Será que não está na cara o quanto eu gosto de você, quero só você e mais ninguém?! SIM eu estou com ciúmes, SIM eu estou insegura! Porque isso que a gente tem não é nada definido, é um terreno arenoso, tenho medo de afundar e sumir nisso.
Eu não sei se essa simples palavra que ela escreveu pra você significou alguma coisa, se ela mexeu com você, se ela é alguém importante. Eu não sei nada.
Eu quero algo sólido, sério, quero saber que é real, que não vai acabar no dia seguinte, que talvez a gente só vá se falar no fim de semana, uma vez na semana e olhe lá. Me deixa saber se você só quer à mim, me deixa saber se você tem saudades, se conta os dias pra me ver, se faz planos, se uma simples mensagem minha desponta um sorriso tímido no seu rosto, me deixa saber se é difícil despedir-se de mim nas estações, diz que lembra de mim quando escuta aquela música e um sentimento bom te invade. Eu faço alguma diferença pra você? Estou ficando maluca! Cada dia nesse silêncio e nessa incerteza me faz desmoronar aos poucos. Posso perder o chão com você mas quero ter certeza que não vou cair. Quero continuar fazendo tudo o que a gente faz mas com a certeza de que isso vai continuar, que não vou precisar pensar duas vezes antes de te mandar uma mensagem, pensar duas vezes antes de pegar sua mão. Posso pegar sua mão? Uma mão que encaixa tão bem na minha mas que você não me deixa segurar.
P, tudo o que faço é tão natural, às vezes até estranho, parece que algumas coisas foram feitas sob medida pra dar certo. Já dá tão certo. Basta você querer andar ao meu lado.


15/08/2016

terça-feira, 14 de março de 2017

09.03

Você já esteve tão feliz que não conseguia dormir?
Bom, eu estou assim. Já passam das duas da manhã e não consigo dormir. Estou tão feliz que nem sinto o cansaço do dia.
Eu estava no show do cantor britânico que eu gosto muito com meu melhor amigo. E tudo o que aconteceu foi incrível.
Quando cheguei na fila do show, ele já estava lá, estava com a camiseta que mandei fazer, com uma ilustração feita por ele, especial para este dia. Me aproximei e ele logo falou que precisava conversar comigo, pediu para algumas garotas que estavam na nossa frente para cuidarem do nosso lugar na fila e saímos andando aleatoriamente pelo estacionamento do local. Ele estava nervoso. Fiquei em dúvida sobre o que poderia ser. Será que ele queria romper o que tínhamos? E então ele começou a relembrar o momento que nos conhecemos, anos atrás naquele mesmo lugar, na fila para o mesmo show e tudo o que já aconteceu.
    - ... Você passou da menina que eu gostava, para a mulher que eu amo. Você quer namorar comigo?
E eu só conseguia alternar meu olhar arregalado entre o rosto dele ansioso por uma resposta e a caixinha de veludo que ele segurava aberta com um par de alianças prateadas.
    - Claro que quero!
Era o que eu mais queria, era tudo o que eu queria e ansiava! Há um tempo que eu não o via como apenas meu amigo e queria construir algo com ele. Foi o melhor dia da minha vida. Parece que está tudo certo, tudo alinhado.
O show foi maravilhoso e eu não poderia estar mais feliz. Sei que estou exausta mas não consigo dormir. 
Tudo isso realmente aconteceu? 
Sim, aconteceu. 
E esta aliança no meu dedo me conforta em saber que não enlouqueci de vez.

sábado, 4 de março de 2017

Pra se relacionar comigo tem que entender que meu estado de espírito são as músicas da Lana del Rey, meu verdadeiro humor é este, é onde me encontro.
Tem que entender que sou a pessoa mais paciente, mais compreensiva e que vai segurar ao máximo a peteca, mas que raras vezes também posso ficar chateada por pouca coisa, fazer beicinho e segurar o choro.
Tem que entender que a tristeza me inspira, que posso sentar em um canto frio e me permitir sentir e chorar todo meu medo e a dor do mundo. Entenda também que posso ter muito potencial, mas deixar as coisas morrerem pela metade. Com algumas coisas eu tento ir adiante, mas algo me impede e me desvia. 
Entenda que procuro reciprocidade.
Entenda que não medirei esforços por você, mas o que você fizer por mim, vou achar que não mereço. Não, não é falta de amor próprio, ou é? 
Entenda que sou altruísta, entenda que não sei receber, só sei dar. 
Entenda que sou insegura e tenho muitos medos.
Entenda que posso ser primavera e outono. 
Felicidade melancólica. 
Entenda que o pessimismo é meu amigo de infância e o realismo é meu primo.
Entenda que o vazio eu não entendo.
Entenda que o que cresce não vai ter explicação.
Entenda que tento ver continuação onde já sei o fim. 
Entenda que não posso construir tudo sozinha.
Entenda que posso ser forte mas precisar muito mais do seu carinho pra acalmar minha dor ressentida.
Entenda que posso tentar mudar alguém, posso tentar mudar o mundo, tentar alcançar obstáculos difíceis e me arrebentar e sofrer muito com isso.
Entenda que posso ser um misto de intensidade e dureza, mas sem perder esperança. 
Entenda que se você não responder ao meu carinho, vou me chatear.
Entenda que posso não conseguir me expressar verbalmente no momento do ato, que só vou conseguir falar o que houve depois.
Entenda que posso ser muito desconfiada. Sou teimosia e resistência, minha frieza pode ser pra me proteger.
Entenda que posso orientar as pessoas com conselhos e dar coragem, mas não saber o que fazer comigo mesma.
Tem que entender que vou ter meus momentos que não sei ser legal e posso falar coisas que podem te magoar, mas não vai ser a intenção.
Tem que entender que minha raiva é muito reprimida e quando extravaso é no choro.
Posso ter fama de coração gelado, mas sua frieza me machuca.
Entenda que vou achar que vou estragar tudo mesmo fazendo o meu melhor.

Entenda que nem eu me entendo.

Se não entender, por favor, ao menos respeita.

domingo, 27 de novembro de 2016

D o i s

Hoje.
Dois anos de: Jake Bugg. Moondogs. Shows. Tatuagem. Músicas. Augusta. Glow. Torneio de tênis. Karaokê. Cinema. Filmes. Autógrafos. Livros. Textos. Coisas novas. Exposições. Frappuccino Mocha. Jack Daniel's. Paulista. Fran's Café. Bacon. McDonald's. Coca. Burger King. Pepsi. Fini. Mania de Churrasco. Gelato da Parmalat. Starbucks. Spoleto. Suposições. Sonhos. Surtos. Sorvete. Signos. Simplicidade. Sintonia. Sono. E outras coisas com S.
Nós. Paciência. Teimosia. Preguiça. Orgulho. Erros. Acertos. Companhia. Preocupação. Confiança. Desabafos. Cuidado. Importância. Lágrimas. Piadas. Cócegas. Implicâncias. Brigas. Amizade. Amor.
Trem. Planos. Linha 8. Linha 9. Hotéis. Ar condicionado. Ventilador. Madrugadas. Fotos guardadas. Ciúmes. Abraço. Perfume. Coincidências. Loucuras. Gregório. Schopenhauer. Woody Allen.
Dois de muitos.
Turkey.

terça-feira, 22 de novembro de 2016

Eu não quero mais molhar meu travesseiro todas as noites
Com lágrimas de saudade
Eu não quero mais sentir sua falta
Sentir falta de tudo o que a gente fazia e que parei de fazer

Eu queria saber de você, se seus dias estão normais 
Se você não pensa em mim, se você não sente minha falta
Se você ainda escuta nossa música 
Se abriu os garfos que comprei
Se usou a caneca que te dei

Queria saber se tem um pedaço de mim por aí ainda,
Porque o vazio está aqui

Mas sinto que a resposta é não para todas essas perguntas e
Prefiro ficar na incerteza do que confirmar essa dor
Prefiro deixar tudo distante
Prefiro continuar te deixando ir

domingo, 23 de outubro de 2016

um grande vazio

um dia cheio. muitos compromissos. muitas pessoas. ansiando pela noite. pelo silêncio.
a noite chega, o silêncio também. e o vazio. um grande vazio.
nenhuma mensagem. nenhuma companhia. a música de sempre no repeat.
pés descalços, pijama. e lágrimas que não se envergonham de cair.
pensamentos que passeiam entre os amigos, o que cada um esta fazendo neste momento e porque ela está sozinha agora.
sua companhia bastava em muitas das vezes, gostava de ficar sozinha e tranquila. mas não sempre.
toda a negatividade vinha à tona.
onde está o vinho? tem algo mais forte?
memórias felizes passam por sua cabeça, parecem distantes.
a vida vai acontecendo e afastando os momentos, as pessoas.
e enchendo o tempo disponível com coisas que nos fazem perder tempo.