sábado, 13 de agosto de 2011

   Era sábado, não faz muito tempo, seria um ano? Ela estava ansiosa, pois na noite da última sexta-feira ele tinha pedido o número de seu telefone para saírem no sábado.
    Ela lembrava-se de como o havia conhecido: por ironia do destino, pegaram o mesmo ônibus, eles eram da mesma escola, mas como não se conheciam? O ônibus chegou no ponto de sua casa, ela desceu. Será que o veria novamente? Lembrava-se do tênis vermelho, era a forma de achá-lo na escola.
   Semanas haviam se passado, ela não o encontrou. Até que um dia sua amiga o encontra. Eles finalmente foram apresentados, ela sentiu o coração disparar. O que ele tinha sentido?
Falaram-se por uns dias, trocaram olhares. Depois começaram a trocar carinhos: beijos, abraços... Ela estava apaixonada! Ele estaria?
    Na sexta ele pediu seu telefone. Ela mal dormiu à noite. O que vestiria para sair com ele?
   O sábado chegou e passava demoradamente. Ele ainda não tinha ligado. E não ligou. Por quê?
  E ela nem ao menos tinha o número dele...
 Ele não sentiu o que ela sentiu? Ele a enganou?
  Ela ficou mal, ela está mal. Ele nunca ligou.

    Agora ela tenta esquecê-lo, embora não consiga. E ele a observa na escola, e nunca lhe disse o porquê de não ter ligado.



          @Pri_S2

Nenhum comentário:

Postar um comentário