segunda-feira, 16 de junho de 2014

Enchanté

Esses dias tenho pensado muito em você, pensado no seu sorriso, no seu jeito de olhar, nas pintinhas que você tem espalhadas pelo corpo... Nas suas cicatrizes que são como marcas das asas de um anjo... Pensei em como queria ter você por perto, como foram bons os momentos que passei ao seu lado, nos conhecendo pouco a pouco... E como você foi feito pra mim, não consigo pensar em ninguém melhor pra mim agora, ah, todo esse seu jeitinho, toda essa sua inteligência que chega a me assustar e me encanta ao mesmo tempo, é, essa é a palavra, eu fiquei encantada, encantada por tudo em você, e eu não queria que tivesse fim, mas mal começou, foi tão instantâneo e efêmero... Por que durou tão pouco?

Estava mexendo na minha gaveta e encontrei, dobrado e guardado com carinho, o papel do bombom que você me deu. Como um flash, lembrei da forma inusitada como você me entregou ele, da mesma forma que você me entregou aquela camisa do seu time de futebol pra eu vestir: você jogou na minha direção, com todo seu jeito brincalhão e meio desleixado, desleixado e bagunçado de uma forma boa e sem ser exagerado... O que ao meu ver, combina com minha organização...

Esses realmente foram os dias de pensar em você com intensidade, sabe o que encontrei? Aquela moeda que achamos na madrugada enquanto voltávamos para casa, já tinha esquecido que tinha ela guardada. Naquele dia você disse que me dava sorte e eu disse que queria ter você mais tempo ao meu lado, assim seria sempre sortuda.
E agora tudo o que tenho é a moeda, o embrulho do bombom e as lembranças, lembranças que insistem em ficar passando pela minha cabeça... Incontáveis lembranças que eu poderia escrever por horas sobre elas...

Priscila Martins

Nenhum comentário:

Postar um comentário