domingo, 10 de julho de 2016

Hoje eu acordei com medo e um pouco triste.
Sabe aquele medo que começa a sufocar?
É domingo de manhã, mal abri meus olhos, dei uma volta pela casa arrastando os pés, passos lentos, porém minha cabeça já começou a trabalhar e despertou meu medo.
Medo de não conseguir tudo o que eu sonho, medo de não chegar à lugar algum, medo de só passar por essa vida e ser uma pessoa frustrada.
Me sinto perdida.
Se eu continuar fazendo exatamente o que estou fazendo agora, será que vou conseguir o que eu quero? Em quanto tempo?
Três casamentos marcados, casa comprada, viagem sem data pra voltar... Cada uma construiu algo.
O que estou fazendo? Onde quero chegar? Mas e se eu nunca chegar? Arriscar, arriscar e mais nada. Temos todo o tempo do mundo e ao mesmo tempo, não temos tempo.
Quando tiver tempo, vou ter dinheiro?
Mas e a saúde?
Vou aproveitar?
Vou olhar pra trás e enxergar o que?
Sonhos incompreendidos, sentimentos que tento reprimir. Onde está meu coração de gelo? Sou capricorniana.
Onde está tudo aquilo de bom que me desejam e tudo aquilo que mereço? Quando vou colher os frutos das boas sementes que planto e cultivo?
2/3 de café, 1/3 de leite frio.
Página 238, capítulo 19.
Esfrego os olhos e leio, mais uma vez absorta no meu livro favorito, onde tudo pode acontecer.



Nenhum comentário:

Postar um comentário